paradoxon logo flash

O Discurso

sexta-feira, novembro 30, 2007

Interpol - Pace is the Trick/ David Lynch -The Grandmother curta metragem 1970

Um garoto estranho algumas sementes e plantas que crescem em uma avó. Short, surreal, e David Lynch terceiro filme.
Esta é a permissa para o 3ºfilme de david lync, uma curta metragem que deixa qualquer pessoa sem palavras.
Mas o mais interessante é encontrar coisas na internet realmente interessantes feitas por pessoas com visão.
É o caso deste vídeo que foi retirado da curta metragem realizada por david lynch, o mais impressionante é o facto de a curta metragem ser completada com esta música dos interpol , música essa forte e que complementa as imagens de lynch.
Deixo-vos aqui para apreciação as imagens de david lynch e a música e letra dos interpol , Grandmother e Pace is the trick.

Pace is the Trick

You can't hold it too tight
These matters of security
You don't have to be wound so tight,
Smoking on the balcony

But it's like sleaze in the park
You women, you have no self-control
We angels remark outside
You are known for insatiable needs
I don't know a thing

I've seen love
And I follow the speed in the starlight
I've seen love
And I follow the speed in the star-swept night

Yeah, pace is the trick
And to all the destruction in man

Well, I see you as you take your pride, my lioness
Your defenses seem wise, I cannot press
And detention's at demise, my lioness
Can't you hurt it some?
Think I hurt it

I've seen love
And I follow the speed in the starlight
And I've seen love
And I follow the speed in the star swept night

And now I select you, slow now to let you
See how I stun
See how I stun
Now I select you, slow now I bet you
See how I stun
See how I stun

And to all the destruction in man
And to all the corruption in my hand

And now I select you, slow now to let you
See how I stun
See how I stun
Now I select you, so now I bet you
See how I stun
See how I stun

Now I select you, so now to let you [I've seen love]
See how I stun
See how I stun

Now I select you, slow now to let you [I've seen love]
I always follow the speed in the star swept night

You don't hold a candle
You don't hold a candle
You don't hold a candle

Paranoid Park de Gus Van Sant (2007)











PARANOID PARK (REALIZAÇÃO:GUS VAN SANT -2007)
VENCEDOR DO 60º FESTIVAL DE CANNES



Após a sua trilogia sobre a morte (Gerry, Elefante e Last Days), o cineasta Gus Van Sant mantém a sua linha de experimentação artística com Paranoid Park (2007). A longa-metragem é uma oportunidade para o público apreciar o talento de Van Sant numa proposta minimalista. Seu novo filme foi feito com um orçamento modesto e encenado em Portland com actores não profissionais - o que não é problema, já que o elenco, na verdade, é uma das ferramentas que ele utiliza para expressar suas ideias.
Vencedor do prémio do 60º Aniversário no Festival de Cannes 2007, o filme gira em torno de um adolescente skatista de 16 anos. Certo dia, Alex mata acidentalmente um agente de segurança nas proximidades de Paranoid Park, área em Portland onde skatistas treinam suas manobras. Alex decide não contar o que aconteceu a ninguém. Mas a sua vida, antes bastante normal, entra numa espiral de confusão, estratégias de acobertamento e culpa.
O argumento é baseado no romance homónimo de Blake Nelson e, partindo desse argumento, Van Sant aproveita a trama para traçar um painel sobre a alienação que impera na adolescência. Ao mesmo tempo em que o jovem encara a culpabilidade e o medo por ter cometido um acidente fatal, este acto desencadeia uma série de conflitos morais internos pontuados com dilemas.
Na busca dessa reflexão, Van Sant usa uma narrativa fragmentada em que passado e presente se mesclam. O cineasta não está preocupado em solucionar o crime, mas sim apresentar como a juventude está desconectada da realidade e à procura de afecto. Percebe-se isso através das relações de Alex, produto de uma família partida. Seus pais estão se divorciando e sua forma de encontrar alguma emoção genuína é através do skate. Os skatistas em Paranoid Park são uma forma de metáfora sobre a falta de comunicação, mesmo em um ambiente eufórico. Eles estão reunidos, mas não há diálogos entre eles. Essa maneira de se relacionar está presente durante toda a projeção, até mesmo quando Alex está com a sua namorada ou outras raparigas. Diálogos são substituídos por imagens que capturam um estilo de vida. O único complemento é uma narração feita por Alex para ilustrar seu diário sobre os acontecimentos.
Essas intenções são corroboradas tecnicamente através do excelente trabalho de fotografia de Christopher Doyle (colaborador do cineasta Wong Kar Wai). São longas tomadas em 35mm em que a câmera flutua em volta dos actores. O complemento vem através das seqüências feitas em super 8 por Rain Kathy Li, e que mostram os skatistas em acção. Van Sant ainda trabalha com cores, ritmos e o slow motion como forma de flirt com o drama e a emoção.
A banda sonora também recebeu os devidos cuidados. São músicas de vários estilos que passeiam pelo clássico, thrash metal, country, jazz, entre outros géneros. Em alguns casos as canções mudam em segundos na mesma cena, clara ilustração da influência do Ipod nos jovens de hoje em dia.

Desde que descobrir o cineasta Gus Van Sant que fiquei seu fã. Através do seu grande filme Elephante , registo essa baseada num outro filme de um cineasta britânico Alan Clark com Elephant que tento seguir com muita atenção todos os seus filmes.
Estou realmente ansioso e com muita expectativa para ver este filme que pelo que li e já vi alguns frames é mais um grande filme de Gus Van Sant.
Vão ver porque isto sim é cinema e não blockbuster!

The Grandmother (curta metragem de David Lynch-1970)

sábado, novembro 24, 2007

Psycho- curta metragem

Finalmente está online depois de quase um ano da produção da curta esta singela homenagem a alfred hitchcock.
Esta ideia que me perseguia há muito tempo a de fazer uma simples mas sentida homenagem a este realizador de culto Alfred Hitchcock.
Este filme Psycho na minha humilde opinião é um clássico do cinema , e dos filmes de suspense,terror, hitchcock numa produção barata e com poucos recursos conseguiu criar uma atmosfera terrifica neste seu Psycho.
Baseou-se no célebre livro Psycho de Robert Bloch fazendo uma adaptção com algumas alterações,pois no livro o personagem principal é muito mais "nojento" , Saul Bass foi incubido de fazer o argumento e consegui-o perfeitamente.
Anthony Perkins no seu maior papel no cinema e Janet Leigh na célebre cena do chuveiro.
Com a magistral banda sonora de Bernard Herman a filme eleva-se a outra dimensão.

A minha homenagem foi baseada na célebre cena do chuveiro e partindo dai construi o argumento da curta , colocando alguns pontos fundamentais do filme de hitchcock.
A intenção foi somente de homenagear este grande realizador , mas também realizar esta ideia que me perseguia há muito tempo.

A curta metragem foi realizada no início de 2007 no suporte mini dv,a edição foi a parte mais complexa ,mas acho que conseguimos embora pudessemos ter melhorado,mas enfim foi o possível dentro das limitações que temos.

Foi seleccionada para os seguintes festivais:

Festival Internacional de Vídeo do Algarve 2007 (menção honrosa)

Festival Internacional de Cinema de Arouca 2007 (16,17 e 18 de Novembro)

Agradecimentos especiais:
Ricardo Costa
Pedro Noel da Luz(paradoxon produções)
Joana Oliveira(paradoxon produções)
Paulo Murta(ipj faro)

Muito obrigado a todos os que me têm ajudado e acompanhado nestas andanças do cine-vídeo.
OBRIGADO.

Hernâni (realizador-paradoxon produções)

quinta-feira, novembro 22, 2007

Premiados Festival internacional de Cinema de Arouca 2007



Premiados - Winners


Melhor Filme – Lousa de Ouro Salvador
(História de um Milagre Quotidiano)
Realização: Abdelatif Hwidar Madrid – Espanha
2º Melhor Filme – Lousa de Prata Antes e Depois de Beijar Maria
Realização: Ramón Alós Madrid – Espanha
Melhor Filme Nacional
Área Protegida
Realização: José Miguel Martins Moreira Ovar – Portugal
Prémio do Público
1º Melhor Filme Kater
Realização: Tine Kluth Londres – Inglaterra
Prémio do Público
2º Melhor Filme
A Lenda da Lagoa Vermelha
Realização: Jorge Mello Brasil
Menções Honrosas
MTV Birth
Realização: Xavier Almeida Portugal
Next
Realização: Lavrenishin Anatoliy Ucrânia
Kater
Realização: Tine Kluth Londres – Inglaterra
Animalz
Realização: Sérgio Cruz Lisboa – Portugal
Complex
Realização: Yutaka Akita Londres – Inglaterra
Melhor Filme de Ficção Antes e Depois de Beijar Maria
Realização: Ramón Alós Madrid – Espanha
Melhor Filme de Animação UITVERKOCHT – Vende-se
Realização: Marie José Van Der Linden & Gerrit VAn Dijk Breda – Netherlands
Puppet
Realização: Patrick Smith New York – Estados Unidos
Prémio Comédia
DVD
Realização: Ciro Altabás Madrid – Espanha
Melhor Documentário
Words and Thoughts in RGB
Realização: Eduardo Morais de Sousa Portugal
Melhor Filme Experimental Uterus 2
Realização: Joana Vieira da Costa Portugal
Melhor Realização
La Tierra Yerma Realização: Alfredo Vera Garcia Espanha
Melhor Argumento O Banquete
Realização: Diogo Sousa Portugal
Melhor Fotografia A Noiva
Realização: Ana Almeida Portugal
Melhor Montagem “Show da Fé”
Realização: António Contador Lisboa – Portugal
Melhor Som Irmãos Desastre
Realização: Vítor Lopes Portugal
Melhor Representação
Bagagens Realização: Toni Bestard Madrid – Espanha
Troféu Vila de Arouca Salvador (História de um Milagre Quotidiano)
Realização: Abdelatif Hwidar Madrid – Espanha
Concurso Fotográfico Olhares de Arouca
Foto nº 7 Avelino Vieira

sexta-feira, novembro 16, 2007

Programação do Festival Internacional de Cinema de Arouca 2007


Sexta: 16 de Novembro
21:00h
(Cinema Globo douro)
Cerimónia de Abertura
Projecção do 1º filme realizado em Arouca “Mulheres da Beira”
1ª Sessão competitiva
(Cinema Globo d´Ouro)
Manhã de Novembro, 1981
Identidade
MTV Birth
Irmãos Desastre
Bagagens
A Lenda da Lagoa Vermelha
Sábado: 17 de Novembro
14:30h
Visita ao Mosteiro de Arouca
15horas (Cinema Globo douro)
Projecção dos filmes: Arouca – porto: o Filme
Um fumo de Ilusão
Para chegar ate à lua
16:30h Palestra: O cinema e os mecanismos para a realização de um filme (Biblioteca Municipal)
21:30h 2ª Sessão competitiva
(Cinema Globo d´Ouro)
  • O Canto do Grilo
  • (A)Sincronia
  • A Noiva
  • Complex
  • Kater
  • La Tierra Yerma
  • Salvador (História de um Milagre Quotidiano)
  • Apolo
  • Periquita
  • UITVERKOCHT – Vende-se
  • Os Três Porquinhos
  • DVD
  • Pago Para Ver
  • Cinema Com Gente Dentro
  • Words and Thoughts in RGB
  • O Nosso Pão de Cada Dia

00:15h Festa do Cinema (Assembleia Bar)

Domingo: 18 de Novenbro
14:30h 2ª Sessão Competitiva
(Cinema Globo d´Ouro)
  • Kitui Sand Dams
  • Atenção ao Cliente
  • Obtuso
  • Eu sou como o Polvo
  • “Show da Fé”
  • Animalz
  • Limite
  • O Banquete
  • Área Protegida
  • Puppet
  • Baby Love
  • Antes e Depois de Beijar Maria
  • Uterus 2
  • Urbano (Realização de Hernâni Duarte Maria)
  • A Caneta
  • Dente Por Olho
  • Bypass – Ashford
  • Old Jerusalém – Her Scarf
  • Indiferente
  • Abalar
  • Psycho (Realização de Hernâni Duarte Maria)
  • Por um Fio
  • Living in the Trees
  • Next

17:30h Projecção de filmes em película super 8mm

Projecção do filme realizado pelos alunos da Escola Secundaria de Arouca,

“A Mensagem”

(Cinema Globo d´Ouro)

21:00h Entrega de Prémios

Cerimonia de Encerramento
Projecção de Filme “Ainda há pastores?”
(Cinema Globo d´Ouro)
Gostaria de congratular o João Rita pelo excelente trabalho na organização e dedicação a este festival e ao Cinema na linda aldeia de Arouca!(e a todos que o acompanham na organização deste verdadeiro FESTIVAL DE CINEMA).
Um Abraço, Força! E Boa Sorte!
Também quero agradecer a todos os que me apoiaram e mais uma vez fizeram parte desta minha grande paixão, que é o Cinema!
E em especial nas minhas curtas a competição este ano: Urbano e Psycho.
Um Abraço Pedro Noel da Luz!
Um Abraço Ricardo Costa!
Um Grande Beijo Joana Oliveira!

Festival de Cinema de Arouca 2007





V Festival Internacional de Cinema de Arouca
Dias 16,17 e 18 de Novembro 2007


Bem vindos à festa do cinema!
Esta é a quinta edição do aroucafilmfestival, Festival Internacional de Cinema de Arouca.

O aroucafilmfestival é uma oportunidade para a descoberta de futuros cineastas e a revelação ao mundo de um concelho detentor de cenários únicos. Competição, convívio e aprendizagem é o que se vai encontrar na edição deste ano, assim como a oportunidade de poder ver o primeiro filme realizado pelas terras de Arouca, no ano de 1921 ainda no período do cinema mudo.
Em apenas cinco anos criamos um evento com a capacidade de não só levar o nome de Arouca ao mundo como também trazer o mundo a Arouca.
Realizadores, actores, críticos e amantes do cinema estarão aqui em Novembro para a festa internacional do cinema.
Por toda esta conquista, assumimos o compromisso em fazer a curto prazo de Arouca, uma das regiões mais filmadas de Portugal.
Visite-nos, será cinematograficamente bem-vindo!
Obras Seleccionadas 2007

Manhã de Novembro, 1981
R: Mariana Castro e Sílvio Santana
Torres Novas – Portugal
15m

Identidade
R. Joana Batista
Porto – Portugal
4m

MTV Birth
R: Xavier Almeida
Portugal
1m

Irmãos Desastre
R: Vítor Lopes
Portugal
1m

Bagagens
R: Toni Bestard
Madrid – Espanha
10m

A Lenda da Lagoa Vermelha
R: Jorge Mello
Brasil
30m

O Canto do Grilo
R: Dany Campos
Madrid – Espanha
18m

(A)Sincronia
R: Rita Couto
Porto – Portugal
3m

A Noiva
R: Ana Almeida
Portugal
7m

Complex
R: Yutaka Akita
Londres – Inglaterra
3m

Kater
R: Tine Kluth
Londres – Inglaterra
14m

La Tierra Yerma
R: Alfredo Vera Garcia
Espanha
11m

Salvado (História de um Milagre Quotidiano)
R: Abdelatif Hwidar
Madrid – Espanha
11m

Apolo
R: Ana Martins
Porto – Portugal
12m

Periquita
R: Vasco Monteiro
Coimbra – Portugal
7m

UITVERKOCHT – Vende-se
R: Marie José Van Der Linden & Gerrit VAn Dijk
Breda – Netherlands
7m

Os Três Porquinhos
R: Cláudio Roberto
Brasil
4m

DVD
R: Ciro Altabás
Madrid – Espanha
17m

Pago Para Ver
R: Luís Manuel Almeida
Vale de Cambra – Portugal
7m

Cinema Com Gente Dentro
R: Rui Pedro Lamy e Diogo Villena
Ovar – Portugal
27m

Words and Thoughts in RGB
R: Eduardo Morais de Sousa
Portugal
6m

O Nosso Pão de Cada Dia
R: Aitor Merino
Madrid – Espanha
19m

Kitui Sand Dams
R: Hans Van Westerlaak
Breda – Netherlands
14m

Atenção ao Cliente
R: Marcos Valín e David Alonso
Espanha
7m

Eu sou como o Polvo
R: Sávio Leite
Belo Horizonte – Brazil
5m

“Show da Fé”
R: António Contador
Lisboa – Portugal
3m

Animalz
R: Sérgio Cruz
Lisboa – Portugal
3m

Limite
R: Marco Amaral
Mangualde – Portugal
9m

O Banquete
R: Diogo Sousa
Portugal
7m

Área Protegida
R: José Miguel Martins Moreira
Ovar – Portugal
20m

Puppet
R: Patrick Smith
New York – Estados Unidos
7m

Baby Love
R: Miguel Estima
Portugal
2m

Antes e Depois de Beijar Maria
.R: Ramón Alós
Madrid – Espanha
9m

Uterus 2
R: Joana Vieira da Costa
Portugal
5m

Urbano
R: Hernâni Duarte Maria
Lagos – Portugal
3m

A Caneta
R: Adriano Mendes
Portugal
3m

Dente Por Olho
R: Eivind Holmboe – Salmon
Espanha
20m

Bypass – Ashford
R: Ramemn Movahed
Gaia – Portugal
4m

Old Jerusalém – Her Scarf
Pedro Lino
Gaia – Portugal
3m

Indiferente
R: Tito Fernandes
Barcelos – Portugal
12m

Abalar
R: Miguel Clara Vasconcelos
Portugal
3m

Psycho
R: Hernâni Duarte Maria
Lagos – Portugal
7m

Por um Fio
R: Miguel Alves
Vila do Conde – Portugal
14m

Living in the Trees
R: Vítor Lopes
Portugal
30seg

Next
R: Lavrenishin Anatoliy
Ucrânia
4m

domingo, novembro 11, 2007

ALICE de MARCO MARTINS

O cinema português está cheio de filmes realmente bons e de novos cineastas!
Mas o público em geral não tem conhecimento da sua existência.
O que interessa salientar é certamente que este é um dos melhores filmes portugueses dos ultimos anos realizado por um jovem cineasta, Marco Martins, não podemos ignorar esta nova geração cheia de energia e de potencialidade, é assim que se constroi a cultura de um país .