paradoxon logo flash

O Discurso

segunda-feira, dezembro 31, 2007

Porque hoje termina o ano- o melhor de 2007



PORQUE HOJE TERMINA O ANO , o CAMARA DE FILMAR deseja a todas as pessoas bons filmes,livros,música e cultura acima de tudo deixando-vos aqui neste espaço o que de melhor aconteceu em 2007 na perspectiva do camara de filmar e também para referir a morte de dois grandes mestres do cinema mundial Ingmar Bergman e Antonioni o cinema ficou mais pobre mas as suas obras serão eternas. Bom ano para todos aqueles que me têm apoiado e me seguido nestas andanças dos filmes. Feliz 2008.
Albúm do ano na minha visão este novo trabalho dos Mogwai é realmente inspirador para quem procuro sons atmosféricos e ambientes nostálgicos e soturnos.

Banda sonora do filme-documentário Zidane, para mim o ALBÚM do ANO.



No que diz respeito há música , estes The National para mim foram a revelação do ano , uma banda a descobrir para quem não conhece ,bom som,voz,muito bom.


Outro factor importante me 2007 , o ciclo de cinema exibido na RTP2 e documentários sobre a vida de charlie chaplin.
Isto sim é serviço público e do bom!!!!



O ano de 2007 foi um realmente sem tempo para a leitura que tanto aprecio e de onde obtenho algumas ideias para os meus filmes.

E, por isso lembrei-me deste livro que já o li há muito tempo , um livro extraordinário de albert camus, livro este que já foi adaptado ao cinema várias vezes , mas quem melhor o adaptou foi orson wells com aquele génio imponente realizou mais um dos seus grandes filmes.

Fica a sugestão para uma leitura .



Uma descoberta em relação ao cinema B. Este carnival of souls é realmente um filme a descobrir, para mim no panorama de 2007 foi o único filme que me surpreendeu, e um filme já com muitos aninhos , na obstante filme este que influenciou cineastas com david lynch.











quinta-feira, dezembro 27, 2007

1º Aniversário do Camara de Filmar









Faz hoje 1 ano que este espaço nasceu!
O objectivo do nascimento deste blog desde o início foi divulgar o cinema, sim o cinema!
Não os filmes que estreiam ou as criticas dos filmes que venceram algum prémio ou perderam, mas sim falar sobre cinema , este foi sempre o objectivo do nascimento deste blog.
As opiniões poderão não ser as mais adequadas , mas acho que todos os posts aqui colocados de uma certa maneira são relevantes nem que sejam para divulgar filmes "perdidos".
O outro objectivo foi divulgar festivais de cinema em portugal que não são do conhecimento do público em geral.
Depois em termos mais pessoais divulgar os meus trabalhos enquanto cineasta e festivais em que participei.
Mas o que realmente é de realçar e importante ao longo deste 1ºano do blog camara de filmar foi sim do que falei e do que divulguei, o cinema , os filmes , os cineastas.
É esse o meu objectivo e vou continuar a manter esta linha que tracei no início desta "realização", colocar a câmara dizer acção !!!!!
Obrigado a todos os visitantes que aqui vieram , muito obrigado também a todas as pessoas que têm me ajudado ao longo destes anos todos!!!
OBRIGADO!!!!
AGORA VOU SOPRAR A VELINHA DO ANIVERSÁRIO 1 ANINHO !!!!!!



terça-feira, dezembro 25, 2007

Porque hoje é Natal- Do Céu Caiu Uma Estrela- de Frank Capra

Do Céu Caiu Uma Estrela

It’s a Wonderful Life
RKO Radio Pictures
Liberty Films EUA 1946, 129m, drama
Realizador: Frank Capra
Argumento: Frances Goodrich, Albert Hackett, Jo Swerling e Frank Capra, baseado na história The Greatest Gift de Philip Van Doren Stern
Actores: James Stewart, Donna Reed, Lionel Barrymore, Thomas Mitchell, Henry Travers, Beulah Bondi, Frank Faylen, Ward Bond,

Um anjo evita que um homem se suicide e mostra-lhe como a vida da pequena cidade onde vive seria sem ele.

Do Céu Caiu uma Estrela é um excelente exemplo do cinema sentimental de Frank Capra. A forma simples e eficaz como transmite a mensagem universal de como um homem comum pode transformar (para melhor, claro) a vida dos que o rodeiam é perfeita e o grande charme do filme. Talvez a altura em que o filme estreou (pós-guerra) tenham contribuído para o seu fracasso, mas o acaso (mais uma vez) veio fazer justiça e trazer reconhecimento a uma das mais emblemáticas produções do cinema americano.
Só porque hoje é Natal , Do Céu Caiu Uma Estrela é um exemplo de como o cinema pode ser realmente extraordinário.
Revejam uma das obras primas de Frank Capra.

terça-feira, dezembro 11, 2007

Charles Chaplin- documentário na rtp2






Charles Chaplin como você nunca viu antes o Artista, o Génio, a Mágica...

"CHAPLIN HOJE" é uma série coordenada por Serge Toubiana, director da Cinemateca Francesa que convida algumas personalidades para falar sobre um determinado filme. A inteligência da escolha faz com que cada uma daquelas personalidades apresente um dos filmes de Chaplin, evidenciando aquilo que acabou por afectar o seu próprio cinema e o modo como passaram a ver o mundo.Uma série de documentários que nos mostra muitas histórias de "bastidores" sobre os filmes de Chaplin, contando curiosidades sobre cada um deles.Digamos que isto é que é realmente serviço público, uma homenagem a charlie chaplin a quandoda sua morte que faz 30 anos.Uma série de documentários exibidos durante esta semana de na rtp2 , como sempre a rtp2 continua com a sua programação realmente de "luxo" , é isto que é realmente televisão, e podemos assim rever o génio e o talento deste grande cineasta,actor,....Charles Chaplin.Obrigado rtp.vejam que é sempre bom rever charlie chaplin.

quarta-feira, dezembro 05, 2007

Carnival of Souls -1962








A MORTE CONVIDA PARA DANÇAR!
De Cult Movie a Filme de Arte, Carnival of Souls influenciou toda uma geração de realizadores, profundamente sugestionados por suas sequências arrepiantes.
Quase 30 anos se passaram, até que se pudesse avaliar com justiça uma das maiores obras desconhecidas do Cinema de Terror, então destinada a sessões de TV espremidas no horário da meia-noite ou salas europeias dedicadas aos “cults” mais herméticos.
Produzido por uma dupla de aventureiros do Kansas -o realizador de filmes educativos Herk Harvey e o obscuro argumentista John Clifford- Carnival of Souls teve o plot concebido pelo segundo, a partir de uma ideia do companheiro impressionado pela visita a Saltair, um parque aquático abandonado em Salt Lake City.
Aparentemente linear, a história parte de um acidente de carro do qual a ingénua organista de igreja Mary Henry –Candace Hilligoss- escapa (?), imiscuindo-se por uma sequência de acontecimentos bizarros derivados de suposta paranóia.
Mary escolhe uma pensão no interior para morar, onde encontra o atrapalhado conquistador John Linden –Sidney Berger, canastrão que rouba a cena.
Presa numa teia de delírios sucessivos, nos quais vê-se perseguida por uma estranha figura de pancake afeita a aparições em reflexos de vidros e espelhos, conta com a ajuda de um psiquiatra, mas logo percebe ser inútil qualquer tentativa de “cura.”
O final, incongruente para quem tem preguiça de pensar, encerra a obra com um fecho metafísico de múltiplas abordagens.
Entretanto, o que legou a Carnival of Souls seu status de obra-prima do género, foram certos aspectos técnicos amparados pela esplendida fotografia de Maurice Prather, cria da produtora Centron Corporation, pertencente ao próprio Harvey, que dá à fita requintes de um preto-e-branco associável a mestres da categoria de Sven Nykvist ou dos velhos Buñuel da fase mexicana.
Harvey não brincou em serviço: em apenas três dias, fez com que o projecto aproveitasse o embalo do entusiasmo reinante na jovem equipa, amarrando cada plano na base de improvisos decisivos para a evolução da obra: por si majestoso, o Saltair funciona como o ápice do pesadelo vivido por Mary, com sua horda de fantasmas de pancake bailando alucinadamente.
Peça importantíssima do filme, a banda-sonora incidental de órgão composta por Gene Moore, alia-se ao clima sinistro do argumento, uma tapeçaria musical que passa do religioso ao gótico com efeito aterrador, acompanhando o dilema da personagem.
Carnival of Souls ganhou celebridade em suas exibições esparsas e terminou influenciando cineastas que se afirmariam na década seguinte dos 1970, como George A. Romero e David Lynch, este pela sintaxe tortuosa da narrativa.
Mal comparado a episódios da celebrada série televisiva The Twilight Zone, o filme ganharia edições vistosas em DVD, para vingar-se do descaso sofrido durante anos no undeground. Inegavelmente uma gema para apreciação de todas as gerações de cinéfilos adeptas do Cinema de Terror.
Atenção!O plano do desdobramento de Mary Henry numa loja, é especialmente genial.
Por trás de sua cabeça o horizonte se desvanece, com efeito imitado inúmeras vezes em filmes de temática sobrenatural.
Realmente o cinema é fantástico, e descobrir filmes que estão há tanto tempo encerrados nos baús a ganhar teias e pó , é extremamente enriquecedor para nós cinéfilos,realizadores!!!
Existe um site o like television em que se pode ver online com excelente imagem e som e ecrãn completo toda uma colecção de filmes de culto , desde os de terror série b e ficção cientifica, até clássicos como os primeiros filmes de charlie chaplin entre muitas outras raridades cinematográficas.
Vi este Carnival of Souls hoje e fiquei realmente impressionado pelo filme em si, embora em alguns aspectos na representação de alguns actores , a coisa não tenha corrido muito bem , mas o que me impressionou mais foi a atmosfera do filme em si, e a protagonista do filme , fez-me lembrar um bocado de Catherine Deneuve no filme Repulsa de Roman Polansky, aquela sucessão de acontecimentos absurdos , hipnóticos,psicológicos, em Carnival of Souls a permissa é identica.
Fiquei impressionado com o filme , que fiz uma busca há procura de respostas e eis que elas aqui estão.
Um filme de baixo orçamento feito em duas semanas que infleunciou cineastas como romero ou lynch , um filme caracteristico do inicio de carreira de buñuel ou jean couteau , tem de ser mesmo objecto de culto.
Um grande filme de terror psicológico , um filme de culto a ver a descobrir ou redescobrir.
O cinema é realmente fantástico!!!!!!!Fascinante!!!!!
Carnival of Souls(1962)
Realização: Herk Harvey
Com: Candace Hilligoss, Frances Feist, Sidney Berger
Duração: 78 min.(p/b-eua)


sexta-feira, novembro 30, 2007

Interpol - Pace is the Trick/ David Lynch -The Grandmother curta metragem 1970

Um garoto estranho algumas sementes e plantas que crescem em uma avó. Short, surreal, e David Lynch terceiro filme.
Esta é a permissa para o 3ºfilme de david lync, uma curta metragem que deixa qualquer pessoa sem palavras.
Mas o mais interessante é encontrar coisas na internet realmente interessantes feitas por pessoas com visão.
É o caso deste vídeo que foi retirado da curta metragem realizada por david lynch, o mais impressionante é o facto de a curta metragem ser completada com esta música dos interpol , música essa forte e que complementa as imagens de lynch.
Deixo-vos aqui para apreciação as imagens de david lynch e a música e letra dos interpol , Grandmother e Pace is the trick.

Pace is the Trick

You can't hold it too tight
These matters of security
You don't have to be wound so tight,
Smoking on the balcony

But it's like sleaze in the park
You women, you have no self-control
We angels remark outside
You are known for insatiable needs
I don't know a thing

I've seen love
And I follow the speed in the starlight
I've seen love
And I follow the speed in the star-swept night

Yeah, pace is the trick
And to all the destruction in man

Well, I see you as you take your pride, my lioness
Your defenses seem wise, I cannot press
And detention's at demise, my lioness
Can't you hurt it some?
Think I hurt it

I've seen love
And I follow the speed in the starlight
And I've seen love
And I follow the speed in the star swept night

And now I select you, slow now to let you
See how I stun
See how I stun
Now I select you, slow now I bet you
See how I stun
See how I stun

And to all the destruction in man
And to all the corruption in my hand

And now I select you, slow now to let you
See how I stun
See how I stun
Now I select you, so now I bet you
See how I stun
See how I stun

Now I select you, so now to let you [I've seen love]
See how I stun
See how I stun

Now I select you, slow now to let you [I've seen love]
I always follow the speed in the star swept night

You don't hold a candle
You don't hold a candle
You don't hold a candle

Paranoid Park de Gus Van Sant (2007)











PARANOID PARK (REALIZAÇÃO:GUS VAN SANT -2007)
VENCEDOR DO 60º FESTIVAL DE CANNES



Após a sua trilogia sobre a morte (Gerry, Elefante e Last Days), o cineasta Gus Van Sant mantém a sua linha de experimentação artística com Paranoid Park (2007). A longa-metragem é uma oportunidade para o público apreciar o talento de Van Sant numa proposta minimalista. Seu novo filme foi feito com um orçamento modesto e encenado em Portland com actores não profissionais - o que não é problema, já que o elenco, na verdade, é uma das ferramentas que ele utiliza para expressar suas ideias.
Vencedor do prémio do 60º Aniversário no Festival de Cannes 2007, o filme gira em torno de um adolescente skatista de 16 anos. Certo dia, Alex mata acidentalmente um agente de segurança nas proximidades de Paranoid Park, área em Portland onde skatistas treinam suas manobras. Alex decide não contar o que aconteceu a ninguém. Mas a sua vida, antes bastante normal, entra numa espiral de confusão, estratégias de acobertamento e culpa.
O argumento é baseado no romance homónimo de Blake Nelson e, partindo desse argumento, Van Sant aproveita a trama para traçar um painel sobre a alienação que impera na adolescência. Ao mesmo tempo em que o jovem encara a culpabilidade e o medo por ter cometido um acidente fatal, este acto desencadeia uma série de conflitos morais internos pontuados com dilemas.
Na busca dessa reflexão, Van Sant usa uma narrativa fragmentada em que passado e presente se mesclam. O cineasta não está preocupado em solucionar o crime, mas sim apresentar como a juventude está desconectada da realidade e à procura de afecto. Percebe-se isso através das relações de Alex, produto de uma família partida. Seus pais estão se divorciando e sua forma de encontrar alguma emoção genuína é através do skate. Os skatistas em Paranoid Park são uma forma de metáfora sobre a falta de comunicação, mesmo em um ambiente eufórico. Eles estão reunidos, mas não há diálogos entre eles. Essa maneira de se relacionar está presente durante toda a projeção, até mesmo quando Alex está com a sua namorada ou outras raparigas. Diálogos são substituídos por imagens que capturam um estilo de vida. O único complemento é uma narração feita por Alex para ilustrar seu diário sobre os acontecimentos.
Essas intenções são corroboradas tecnicamente através do excelente trabalho de fotografia de Christopher Doyle (colaborador do cineasta Wong Kar Wai). São longas tomadas em 35mm em que a câmera flutua em volta dos actores. O complemento vem através das seqüências feitas em super 8 por Rain Kathy Li, e que mostram os skatistas em acção. Van Sant ainda trabalha com cores, ritmos e o slow motion como forma de flirt com o drama e a emoção.
A banda sonora também recebeu os devidos cuidados. São músicas de vários estilos que passeiam pelo clássico, thrash metal, country, jazz, entre outros géneros. Em alguns casos as canções mudam em segundos na mesma cena, clara ilustração da influência do Ipod nos jovens de hoje em dia.

Desde que descobrir o cineasta Gus Van Sant que fiquei seu fã. Através do seu grande filme Elephante , registo essa baseada num outro filme de um cineasta britânico Alan Clark com Elephant que tento seguir com muita atenção todos os seus filmes.
Estou realmente ansioso e com muita expectativa para ver este filme que pelo que li e já vi alguns frames é mais um grande filme de Gus Van Sant.
Vão ver porque isto sim é cinema e não blockbuster!

The Grandmother (curta metragem de David Lynch-1970)

sábado, novembro 24, 2007

Psycho- curta metragem

Finalmente está online depois de quase um ano da produção da curta esta singela homenagem a alfred hitchcock.
Esta ideia que me perseguia há muito tempo a de fazer uma simples mas sentida homenagem a este realizador de culto Alfred Hitchcock.
Este filme Psycho na minha humilde opinião é um clássico do cinema , e dos filmes de suspense,terror, hitchcock numa produção barata e com poucos recursos conseguiu criar uma atmosfera terrifica neste seu Psycho.
Baseou-se no célebre livro Psycho de Robert Bloch fazendo uma adaptção com algumas alterações,pois no livro o personagem principal é muito mais "nojento" , Saul Bass foi incubido de fazer o argumento e consegui-o perfeitamente.
Anthony Perkins no seu maior papel no cinema e Janet Leigh na célebre cena do chuveiro.
Com a magistral banda sonora de Bernard Herman a filme eleva-se a outra dimensão.

A minha homenagem foi baseada na célebre cena do chuveiro e partindo dai construi o argumento da curta , colocando alguns pontos fundamentais do filme de hitchcock.
A intenção foi somente de homenagear este grande realizador , mas também realizar esta ideia que me perseguia há muito tempo.

A curta metragem foi realizada no início de 2007 no suporte mini dv,a edição foi a parte mais complexa ,mas acho que conseguimos embora pudessemos ter melhorado,mas enfim foi o possível dentro das limitações que temos.

Foi seleccionada para os seguintes festivais:

Festival Internacional de Vídeo do Algarve 2007 (menção honrosa)

Festival Internacional de Cinema de Arouca 2007 (16,17 e 18 de Novembro)

Agradecimentos especiais:
Ricardo Costa
Pedro Noel da Luz(paradoxon produções)
Joana Oliveira(paradoxon produções)
Paulo Murta(ipj faro)

Muito obrigado a todos os que me têm ajudado e acompanhado nestas andanças do cine-vídeo.
OBRIGADO.

Hernâni (realizador-paradoxon produções)

quinta-feira, novembro 22, 2007

Premiados Festival internacional de Cinema de Arouca 2007



Premiados - Winners


Melhor Filme – Lousa de Ouro Salvador
(História de um Milagre Quotidiano)
Realização: Abdelatif Hwidar Madrid – Espanha
2º Melhor Filme – Lousa de Prata Antes e Depois de Beijar Maria
Realização: Ramón Alós Madrid – Espanha
Melhor Filme Nacional
Área Protegida
Realização: José Miguel Martins Moreira Ovar – Portugal
Prémio do Público
1º Melhor Filme Kater
Realização: Tine Kluth Londres – Inglaterra
Prémio do Público
2º Melhor Filme
A Lenda da Lagoa Vermelha
Realização: Jorge Mello Brasil
Menções Honrosas
MTV Birth
Realização: Xavier Almeida Portugal
Next
Realização: Lavrenishin Anatoliy Ucrânia
Kater
Realização: Tine Kluth Londres – Inglaterra
Animalz
Realização: Sérgio Cruz Lisboa – Portugal
Complex
Realização: Yutaka Akita Londres – Inglaterra
Melhor Filme de Ficção Antes e Depois de Beijar Maria
Realização: Ramón Alós Madrid – Espanha
Melhor Filme de Animação UITVERKOCHT – Vende-se
Realização: Marie José Van Der Linden & Gerrit VAn Dijk Breda – Netherlands
Puppet
Realização: Patrick Smith New York – Estados Unidos
Prémio Comédia
DVD
Realização: Ciro Altabás Madrid – Espanha
Melhor Documentário
Words and Thoughts in RGB
Realização: Eduardo Morais de Sousa Portugal
Melhor Filme Experimental Uterus 2
Realização: Joana Vieira da Costa Portugal
Melhor Realização
La Tierra Yerma Realização: Alfredo Vera Garcia Espanha
Melhor Argumento O Banquete
Realização: Diogo Sousa Portugal
Melhor Fotografia A Noiva
Realização: Ana Almeida Portugal
Melhor Montagem “Show da Fé”
Realização: António Contador Lisboa – Portugal
Melhor Som Irmãos Desastre
Realização: Vítor Lopes Portugal
Melhor Representação
Bagagens Realização: Toni Bestard Madrid – Espanha
Troféu Vila de Arouca Salvador (História de um Milagre Quotidiano)
Realização: Abdelatif Hwidar Madrid – Espanha
Concurso Fotográfico Olhares de Arouca
Foto nº 7 Avelino Vieira

sexta-feira, novembro 16, 2007

Programação do Festival Internacional de Cinema de Arouca 2007


Sexta: 16 de Novembro
21:00h
(Cinema Globo douro)
Cerimónia de Abertura
Projecção do 1º filme realizado em Arouca “Mulheres da Beira”
1ª Sessão competitiva
(Cinema Globo d´Ouro)
Manhã de Novembro, 1981
Identidade
MTV Birth
Irmãos Desastre
Bagagens
A Lenda da Lagoa Vermelha
Sábado: 17 de Novembro
14:30h
Visita ao Mosteiro de Arouca
15horas (Cinema Globo douro)
Projecção dos filmes: Arouca – porto: o Filme
Um fumo de Ilusão
Para chegar ate à lua
16:30h Palestra: O cinema e os mecanismos para a realização de um filme (Biblioteca Municipal)
21:30h 2ª Sessão competitiva
(Cinema Globo d´Ouro)
  • O Canto do Grilo
  • (A)Sincronia
  • A Noiva
  • Complex
  • Kater
  • La Tierra Yerma
  • Salvador (História de um Milagre Quotidiano)
  • Apolo
  • Periquita
  • UITVERKOCHT – Vende-se
  • Os Três Porquinhos
  • DVD
  • Pago Para Ver
  • Cinema Com Gente Dentro
  • Words and Thoughts in RGB
  • O Nosso Pão de Cada Dia

00:15h Festa do Cinema (Assembleia Bar)

Domingo: 18 de Novenbro
14:30h 2ª Sessão Competitiva
(Cinema Globo d´Ouro)
  • Kitui Sand Dams
  • Atenção ao Cliente
  • Obtuso
  • Eu sou como o Polvo
  • “Show da Fé”
  • Animalz
  • Limite
  • O Banquete
  • Área Protegida
  • Puppet
  • Baby Love
  • Antes e Depois de Beijar Maria
  • Uterus 2
  • Urbano (Realização de Hernâni Duarte Maria)
  • A Caneta
  • Dente Por Olho
  • Bypass – Ashford
  • Old Jerusalém – Her Scarf
  • Indiferente
  • Abalar
  • Psycho (Realização de Hernâni Duarte Maria)
  • Por um Fio
  • Living in the Trees
  • Next

17:30h Projecção de filmes em película super 8mm

Projecção do filme realizado pelos alunos da Escola Secundaria de Arouca,

“A Mensagem”

(Cinema Globo d´Ouro)

21:00h Entrega de Prémios

Cerimonia de Encerramento
Projecção de Filme “Ainda há pastores?”
(Cinema Globo d´Ouro)
Gostaria de congratular o João Rita pelo excelente trabalho na organização e dedicação a este festival e ao Cinema na linda aldeia de Arouca!(e a todos que o acompanham na organização deste verdadeiro FESTIVAL DE CINEMA).
Um Abraço, Força! E Boa Sorte!
Também quero agradecer a todos os que me apoiaram e mais uma vez fizeram parte desta minha grande paixão, que é o Cinema!
E em especial nas minhas curtas a competição este ano: Urbano e Psycho.
Um Abraço Pedro Noel da Luz!
Um Abraço Ricardo Costa!
Um Grande Beijo Joana Oliveira!

Festival de Cinema de Arouca 2007





V Festival Internacional de Cinema de Arouca
Dias 16,17 e 18 de Novembro 2007


Bem vindos à festa do cinema!
Esta é a quinta edição do aroucafilmfestival, Festival Internacional de Cinema de Arouca.

O aroucafilmfestival é uma oportunidade para a descoberta de futuros cineastas e a revelação ao mundo de um concelho detentor de cenários únicos. Competição, convívio e aprendizagem é o que se vai encontrar na edição deste ano, assim como a oportunidade de poder ver o primeiro filme realizado pelas terras de Arouca, no ano de 1921 ainda no período do cinema mudo.
Em apenas cinco anos criamos um evento com a capacidade de não só levar o nome de Arouca ao mundo como também trazer o mundo a Arouca.
Realizadores, actores, críticos e amantes do cinema estarão aqui em Novembro para a festa internacional do cinema.
Por toda esta conquista, assumimos o compromisso em fazer a curto prazo de Arouca, uma das regiões mais filmadas de Portugal.
Visite-nos, será cinematograficamente bem-vindo!
Obras Seleccionadas 2007

Manhã de Novembro, 1981
R: Mariana Castro e Sílvio Santana
Torres Novas – Portugal
15m

Identidade
R. Joana Batista
Porto – Portugal
4m

MTV Birth
R: Xavier Almeida
Portugal
1m

Irmãos Desastre
R: Vítor Lopes
Portugal
1m

Bagagens
R: Toni Bestard
Madrid – Espanha
10m

A Lenda da Lagoa Vermelha
R: Jorge Mello
Brasil
30m

O Canto do Grilo
R: Dany Campos
Madrid – Espanha
18m

(A)Sincronia
R: Rita Couto
Porto – Portugal
3m

A Noiva
R: Ana Almeida
Portugal
7m

Complex
R: Yutaka Akita
Londres – Inglaterra
3m

Kater
R: Tine Kluth
Londres – Inglaterra
14m

La Tierra Yerma
R: Alfredo Vera Garcia
Espanha
11m

Salvado (História de um Milagre Quotidiano)
R: Abdelatif Hwidar
Madrid – Espanha
11m

Apolo
R: Ana Martins
Porto – Portugal
12m

Periquita
R: Vasco Monteiro
Coimbra – Portugal
7m

UITVERKOCHT – Vende-se
R: Marie José Van Der Linden & Gerrit VAn Dijk
Breda – Netherlands
7m

Os Três Porquinhos
R: Cláudio Roberto
Brasil
4m

DVD
R: Ciro Altabás
Madrid – Espanha
17m

Pago Para Ver
R: Luís Manuel Almeida
Vale de Cambra – Portugal
7m

Cinema Com Gente Dentro
R: Rui Pedro Lamy e Diogo Villena
Ovar – Portugal
27m

Words and Thoughts in RGB
R: Eduardo Morais de Sousa
Portugal
6m

O Nosso Pão de Cada Dia
R: Aitor Merino
Madrid – Espanha
19m

Kitui Sand Dams
R: Hans Van Westerlaak
Breda – Netherlands
14m

Atenção ao Cliente
R: Marcos Valín e David Alonso
Espanha
7m

Eu sou como o Polvo
R: Sávio Leite
Belo Horizonte – Brazil
5m

“Show da Fé”
R: António Contador
Lisboa – Portugal
3m

Animalz
R: Sérgio Cruz
Lisboa – Portugal
3m

Limite
R: Marco Amaral
Mangualde – Portugal
9m

O Banquete
R: Diogo Sousa
Portugal
7m

Área Protegida
R: José Miguel Martins Moreira
Ovar – Portugal
20m

Puppet
R: Patrick Smith
New York – Estados Unidos
7m

Baby Love
R: Miguel Estima
Portugal
2m

Antes e Depois de Beijar Maria
.R: Ramón Alós
Madrid – Espanha
9m

Uterus 2
R: Joana Vieira da Costa
Portugal
5m

Urbano
R: Hernâni Duarte Maria
Lagos – Portugal
3m

A Caneta
R: Adriano Mendes
Portugal
3m

Dente Por Olho
R: Eivind Holmboe – Salmon
Espanha
20m

Bypass – Ashford
R: Ramemn Movahed
Gaia – Portugal
4m

Old Jerusalém – Her Scarf
Pedro Lino
Gaia – Portugal
3m

Indiferente
R: Tito Fernandes
Barcelos – Portugal
12m

Abalar
R: Miguel Clara Vasconcelos
Portugal
3m

Psycho
R: Hernâni Duarte Maria
Lagos – Portugal
7m

Por um Fio
R: Miguel Alves
Vila do Conde – Portugal
14m

Living in the Trees
R: Vítor Lopes
Portugal
30seg

Next
R: Lavrenishin Anatoliy
Ucrânia
4m

domingo, novembro 11, 2007

ALICE de MARCO MARTINS

O cinema português está cheio de filmes realmente bons e de novos cineastas!
Mas o público em geral não tem conhecimento da sua existência.
O que interessa salientar é certamente que este é um dos melhores filmes portugueses dos ultimos anos realizado por um jovem cineasta, Marco Martins, não podemos ignorar esta nova geração cheia de energia e de potencialidade, é assim que se constroi a cultura de um país .

sábado, outubro 27, 2007

Charlie Chaplin - Tempos Modernos

Tempos modernos


Modern times



Realizador: Charlie Chaplin

Actores: Charlie Chaplin; Paulette Goddard

Música: Charlie Chaplin

Duração: 87 min.

Ano: 1936



"A rir se dizem as verdades" é um conhecido provérbio que faz todo o sentido neste filme. A maioria das obras realizadas por Charlie Chaplin são sátiras sociais. Em "Tempos modernos", o célebre personagem, "Charlot", revela a desumanização do trabalho em série sem espaço para o mínimo de criatividade ou de realização pessoal. Mais do que trabalhar numa linha de montagem, o Homem faz parte dessa linha de montagem. O ser humano reduz-se a uma mera peça de toda a engrenagem. Desapareceu a sua identidade, a sua individualidade, o seu valor próprio. Todo o trabalho valorizado é o trabalho mecanicista. O capital intelectual é desprezível e desprezado. O Homem é tratado como um objecto.

O arranque do filme é soberbo, com imagens de gargalhada imediata. Mas são cenas que dão que pensar. Um trabalho daqueles não desenvolve as capacidades de quem o pratica nem potencia o aumento de lucros de uma empresa como a que aparece retratada. Se o empregado pretende alterar a situação, ou é despedido ou pede a demissão, mas o desemprego será sempre a conclusão. A revolta instala-se. O filme segue depois um desenvolvimento inesperado. A questão vital do emprego, vai ser unida por Charlie Chaplin à questão vital do amor, à procura da estabilidade emocional e familiar. Quando Charlot encontra a sua princesa encantada, a vida ganha novas soluções e os dois ultrapassam crise após crise, apesar de nunca desaparecer sobre eles a nuvem angustiante da amargura, perante os horizontes carregados da incerteza laboral. E já na cena final, é de mãos dadas que os dois se lançam num novo caminho, ainda incerto, mas bem apoiados nas forças um do outro.

Um aspecto pouco conhecido de Charlie Chaplin é que foi ele o compositor da banda sonora, marcando através dela a intensidade da acção e criando o ambiente emocional da narrativa.

quinta-feira, setembro 27, 2007

Top Hat Trailer (1935)

O trailer do grande filme musical que catapultou fred astaire e ginger rogers para os icones nos anos 30 do cinema musical.

Top Hat - Cheek to Cheek (Fred Astaire e Ginger Rogers)

A célebre cena do filme musical Top Hat .
Cheek to cheek uma música imortalizada no cinema por fred astaire e ginger rogers.
Belissimo filme musical.

domingo, setembro 02, 2007

A minha página está aqui...!!!!



Na revista exame informática do mês de setembro o blog camara de filmar-paradoxon saiu numa das suas páginas que divulgam sites e blogs dos cibernautas portugueses.
É de louvar este espaço nesta revista de referência da informática, fiquei extremamente contente pelo meu blog ter sido seleccionado para divulgação na revista deste mês.
Obrigado.

sábado, setembro 01, 2007

Charlie Chaplin- o homem.músico,realizador,actor...o homem , o artista!!!
















O Caminho da Vida

Charles Chaplin.
O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.
A cobiça envenenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódio... e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios.
Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.
Nossos conhecimentos fizeram-nos cépticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.
Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.
("O Último discurso", do filme O Grande Ditador)





quarta-feira, agosto 29, 2007

Votação imago-festival de cinema jovem(fundão) votação até 7 de outubro



Encontra-se online até 7 de outubro de 2007 a competição imago -festival de cinema jovem a ser realizado no fundão.

As curtas metragens por mim realizadas que estão a concurso e por conseguinte em votação são:

PAUSA ( ficção) 9m30 -2004

realização: hernâni duarte maria

produção:paradoxon produções

argumento:hernâni duarte maria

título:joana oliveira

protagonista:pedro noel da luz

montagem:jorge rocha

fotografia e imagem:hernâni duarte maria e pedro noel da luz

Desiste! (ficção/thriller)-5m30-2005

realização:hernâni duarte maria e pedro noel da luz

argumento:hernâni duarte maria

fotografia:hernâni duarte maria,pedro noel da luz e tiago assis

montagem: hernâni duarte maria e tiago assis

co-produção: paradoxon produções&espaço jovem

protagonistas: pedro dinis e joana oliveira

Walking (experimental)-2m30- 2006

realização,montagem,imagem e sonorização:hernâni duarte maria

produçaõ:paradoxon producões

Urbano (experimental)-3m50-2007

realização,montagem,imagem,sonorização:hernâni duarte maria

produção:paradoxon produções

A votação encontra-se no site http://micromovies.clix.pt/ até dia 7 de outubro do corrente ano.

Irão ser escolhidos 25 filmes que serão exibidos no último dia do festival , 20 filmes escolhidos por um juri e os restantes 5 escolhidos através da votaçaõ dos cibernautas.

Apareçam pelo site visionem os filmes e escolham os que acharem que tem perfil para serem visionados num festival desta envergadura.

Pela parte que me toca só tenho que apelar á votação nas minhas curtas metragens!

Agradeço a todos os que tem trabalhado comigo nesta aventura de contar histórias através das imagens.

Obrigado.

segunda-feira, agosto 27, 2007

Festival Internacional de Vídeo do Algarve 2007-Premiados

FESTIVAL INTERNACIONAL DE VÍDEO DO ALGARVE 2007


VISIONAMENTO DOS FILMES SELECCIONADOS

AUDITÓRIO DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE SILVES 16 JUNHO 2007


Foi no passado dia 16 de junho de 2007 que decorreu a exibiçaõ e entrega dos prémios aos filmes seleccionados pelo Racal Clube de Silves que organiza este festival internacional de vídeo do algarve.
Aqui fica a lista dos premiados:

" Almas de uma terra"-Realização: Vitor Salvador-Portugal- (tema livre) 17m - 1ºlugar ex-aquo- Troféu Governo civil de Faro+Medalha Psa ouro+câmara de vídeo


"Entre a rocha e o mar"-Realização:Ana Filipa-Portugal-(documentário) 20m- 1ºlugar troféu governo civil de faro+prémio aluno de uma escola secundária+máquina fotográfica digital


"Do outro lado da linha"-Realização:Vitor Salvador-Portugal(tema livre) 17m-2ºlugar troféu governo civil de faro+medalha psa prata


"A Sombra"-Realização:Vitor S.Moreira da Costa-Portugal(ficção) 6m-3ºlugar troféu gverno civil de faro+medalha psa bronze+prémio juventude+máquina fotográfica digital


"The Packet"-Realização:Anthony Agius-Malta(tema livre) 8m -4ºlugar ex-aequo-menção honrosa


"Assalto"-Realização:Rui Canizes-Portugal(ficção) 13m- 4º lugar ex-aequo - menção honrosa


"Urbano"-Realização: Hernâni Duarte Maria (livre-experimental) 3m - 5º lugar ex-aequo-menção honrosa

" Desiste! " -Realização: Hernâni Duarte Maria(ficção) 5m- 5ºlugar ex-aequo -menção honrosa

"LUV"-Realização:Hernâni Duarte Maria(ficção)8m- 5ºlugaro ex-aequo-menção honrosa


É de louvar a iniciativa do racal clube abrindo os horizontes da 7ª arte aos novos talentos nacionais e incutir a nivel regional a paixão pelo cinema.
Da parte que me toca estarei sempre atento e se estiver realmente com uma nova curta metragem participarei.
Hernâni Duarte Maria (realizador)

domingo, agosto 26, 2007

A Desaparecida - 1956- Realização: John Ford

Ultimamente tenho revisto alguns dos westerns mais emblemáticos do cinema .
A minha preferência vai para John Ford e naturalmente o "Duke" , John Wayne camleão do cinema tanto em westerns como noutros papeis distintos e muito diversificados.
O carisma e postura de Wayne dava ás suas interpretações um elevado rigor e dramatismo na acção , não deixando de parte a comédia aliada a um non sense existente nos anos 40 e 50.
Neste grande filme The Searchers " A Desaparecida" , Wayne é um regressado lutador que esteve ausente durante muito tempo numa guerra civil.
Regressa a casa para reencontrar a sua familia e os medos que deixou para trás.
A acção desenvolve-se depois de um assalto a gado uma manobra para os indios comanches atacarem a quinta de sua familia saquearem e matarem os seus membros, raptando a sua pequena sobrinha.
Aqui começa a odisseia de busca e resgate da criança , uma odisseia de amraguras e encontros explosivos.
Considerado um dos melhores westerns de sempre.
Uma oportunidade para rever o filme para quem já o viu, e para quem não o conhece o conhecer agora.

quarta-feira, agosto 22, 2007

REPULSA (Roman Polanski, 1965)

ROMAN POLANSKI ACLAMADO REALIZADOR DE ORIGEM POLACA CEDO SE AFIRMOU NO CINEMA COM OS SEUS FILMES EM QUE A COMPONENTE HUMANA É EXPLORADA A NIVEIS DE PSICOSE URBANA.
ESTE FILME REPULSA MOSTRA-NOS ISSO MESMO, ANTERIORMENTE POLANSJI TINHA REALIZADO A FACA NA ÁGUA UM OBJECTO TÃO PECULIAR QUANTO ESTE FILME REPULSA.
UMA DAS COISAS A SALIENTAR É O FACTO DESTA SER A PRIMEIRA LONGA METRAGEM DE POLANSKI FORA DO SEU PAIS DE ORIGEM, O SEU PRIMEIRO FILME BRITÂNICO.
EM SEGUNDO LUGA UMA DESLUMBRANTE CATHERINE DENEUVE NUM PAPEL MAGISTRAL A RAPARIGA DEMENTE ENCLAUSURADA EM CASA UM AMBIENTE DEVERAS SOTURNO E PSIQUICO , E CARACTERISITICO DOS TEMPOS MODERNOS DA CIDADE MODERNA.
UMA OBRA DEVERAS PERTURBANTE , UM FILME A DESCOBRIR PARA QUEM NÃO O CONHECE!!!!!

sábado, agosto 18, 2007

Irmão Marx -Um dia no Circo

A RTP tem vindo a passar alguns dos melhores filmes dos saudosos comediantes grouxo,chico e harpo, os irmão marx.
A exibição começou com o filme um dia nas corridas uma alucinante e acutilante comédia louca.
Hoje passa um dia no circo mais uma hilariante viagem com os irmão marx.
Fica aqui um pequeno trecho do filme em que harpo marx , genialmente toca uma harpa.
simplesmente genial.
para quem não conhece , acho que é uma boa altura para conhecer estes comediantes americanos que tantos filmes nos deixaram da década de 30 e 40.
Apreciem. Bons filmes.

sexta-feira, agosto 17, 2007

Psycho (1960) - A célebre cena do chuveiro

Alfred Hitchcock sempre gerou cenários sombrios nos seus filmes.
Psycho um dos mais sombrios e arrepiantes filmes da década de 60 que o elevaram a estatuto de realizador de culto, e que tanto janet leigh como anthony perkins tiveram uma das suas melhores interpretações no cinema.
Psycho um filme de culto pelo mestre do suspense Alfred Hitchcock.

quarta-feira, agosto 15, 2007

Paredes de Coura 2007- concerto dos SPOON

Através da sic radical tenho assistido ao festival paredes de coura 2007.
Fiquei surpreendido com alumas bandas que tem passado por lá.
Uma delas foram os Spoon e que realmente são muito bons , desconhecidos para mim , mas vou já adquirir alguns cds deles.
Com uma sonoridade que me é conhecida posso dizer que se assemelham a uns Pavement ou até a uns Guided by Voices.
Gostei da actuação deles , sempre a subir e com muita consistência.
Muito bom mesmo.
Uma banda a descobrir.

sábado, agosto 11, 2007

Sonic Youth - Incinerate

Mais uma os sonic youth vão pisar solo português mais propriamente em Paredes de Coura.
Uma das minhas bandas de eleição , continuam com a mesma joviolidade tão caracteristica do seu sonic rock, os anos não passam por eles, e o rock permanece electrizante , cósmico,psicadélico.

sábado, agosto 04, 2007

Michelangelo Antonioni 1912-2007




"Com Antonioni morre não só um dos maiores realizadores, mas também um mestre da modernidade", declarou hoje o presidente da câmara de Roma, Walter Veltroni, num comunicado.
Cineasta da incomunicabilidade ou da dificuldade de viver e amar, dirigiu duas dezenas de filmes, entre os quais Escândalo de Amor (1950) e O Grito (1957), a trilogia constituída por A Aventura (1960), A Noite (1961) e O Eclipse (1962), e ainda O Grito (1957), O Deserto Vermelho (1964), Blow-up (1966), ou Identificação de uma Mulher (1982).
Consagrado internacionalmente, ganhou o Leão de Ouro da Bienal de Veneza, em 1964, com O Deserto Vermelho, a Palma de Ouro do Festival de Cannes, em 1967, com Blow-up, o Prémio Especial do Júri de Cannes com Identificação de uma Mulher, em 1982, um Óscar de Hollywood pelo conjunto da sua carreira, em 1955, e também um Leão de Ouro pela carreira em Veneza, em 1997.
FILMOGRAFIA (longas-metragens)1950: «Cronaca di un Amore/Escândalo de Amor» 1953: «I Vinti» 1953: «La Signora senza Camelie/A Dama sem Camélias» 1953: «Tentato Suicidio» (episódio de «L´Amore in Citá/Retalhos da Vida») 1955: «Le Amiche» 1957: «Il Grido/O Grito» 1960: «L´Avventura/A Aventura» 1961: «La Notte/A Noite» 1962: «L´Eclisse/O Eclipse» 1964: «Il Deserto Rosso/Deserto Vermelho» 1965: «Il Provino» ((episódio de «I Tre Volti/As Três Faces de Uma Mulher») 1967: «BlowUp/A História de um Fotógrafo» 1970: «Zabriskie Point» 1972: «Chung Kuo - Cina» (documentário) 1975: «Professione: reporter/Profissão: Repórter» 1981: «Il Mistero di Oberwald» 1982: «Identificazione di una donna/Identificação de Uma Mulher» 1989: «Roma» (episódio de «12 registi per 12 città») 1995: «Al di là delle nuvole/Para Além das Nuvens» 2004: «Il filo pericoloso delle cose» (episódio de «Eros»)